Uma das causas do Instituto Fonte é investir em formações que levem ao aprimoramento de habilidades como a observação atenta, a escuta ativa, a leitura das situações em sua complexidade. Já estamos na nona edição do “Profides: Profissão Desenvolvimento” e na segunda do “Artistas do Invisível”, fortalecendo uma comunidade significativa do que chamamos de “profissionais de desenvolvimento”. O programa Aprimora vem do desejo, de quem já atua em facilitação, de ter um espaço regular de reflexão e de aprofundamento da sua prática. O programa é aberto a facilitadores de processos, independentemente de terem cursado iniciativas de formação do Instituto Fonte.

 

O Aprimora teve início em março de 2015 e há cinco grupos de aprimorandos em andamento, sob a coordenação de Antonio Luiz de Paula e Silva, Arnaldo Motta e Flora Lovato. Alguns encontros são presenciais e outros à distância, com participantes de várias regiões do país. Importante: estamos montando novas turmas para começarem em março de 2016. 
 

OBJETIVO GERAL

Facilitadores aprimoram suas capacidades, habilidades, competências e atitudes na forma de se relacionarem (leitura e intervenção) com processos de organismos sociais.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

- Conhecer, estudar e refletir sobre conceitos e publicações relacionadas à facilitação de processos, ao desenvolvimento social e ao desenvolvimento de organizações.
- Estimular a atuação prática dos participantes em facilitação de processos sociais.
- Contribuir para intercâmbio de práticas e para o fortalecimento de identidade profissional dos participantes.

 

ATIVIDADES

Estão divididas em quatro eixos interdependentes:

Características

Grupo de estudos com encontros mensais de 3 horas de duração durante 24 meses para um grupo de seis participantes e um coordenador. Nos encontros, intercala-se estudo teórico com discussões de casos relacionados ao tema da leitura. A participação pode ser presencial ou à distância.

Bibliografia básica:

SCHEIN, E.H. (2008). “Princípios da consultoria de processos: para construir relações que transformam”. Peirópolis, São Paulo.

SCHAEFER, C. e VOORS. (2005). Desenvolvimento de Iniciativas Sociais. Antroposófica, São Paulo.

KAPLAN, A. (2005). Artistas do Invisível. Peirópolis, São Paulo. 
 

Início: Primeira semana de março de 2016.

Em 2016, o Conceitua terá grupos com Flora Lovato às segundas-feiras, das 14h às 17h, e com Mariangela de Paiva Oliveira às quartas-feiras, das 14h às 17h.

 

Características

Reflexão sobre a sua prática a partir de discussões trazidas pelos participantes em reuniões mensais de 3 horas de duração, durante 24 meses, para um grupo de seis participantes e um coordenador. A participação pode ser presencial ou à distância.

Início:  Segunda semana de março de 2016.

Em 2016, o Reflete terá grupos com Flora Lovato às segundas-feiras, das 09h às 12h, e com Mariangela de Paiva Oliveira às quartas-feiras, das 14h às 17h.

Características

Participantes podem compor equipes em trabalhos de consultoria facilitados por consultores do Instituto Fonte, na qualidade de assistentes. Podem compor equipes em projetos do Instituto Fonte, liderados por associados do Instituto, como assistentes de projetos. Em ambas as situações, os trabalhos poderão ser remunerados ou não, de acordo com as possibilidades de cada situação. A dedicação média será de 16 horas ao longo dos 24 meses.

A definição de qual trabalho será adequado a cada “Aprimorando”, dar-se-á em função das necessidades de aprendizagem de cada um, definidas em diálogo com os consultores responsáveis pelo Programa Aprimorar. Será dada prioridade aos participantes do programa na alocação de processos do Instituto Fonte em relação aos demais consultores da rede.

A participação é presencial, no local definido pelo cliente contratante. Eventuais despesas de locomoção, hospedagem e alimentação são custeadas pelo participante.

Características

Participantes das diversas atividades do Aprimora trocam reflexões e experiências relacionadas a processos sociais.

Organizam e participam do Encontro anual “Aprimorar” e
 participam do Encontro “Aristides”, que reúne ex-participantes dos Profides e Artistas do Invisível. A participação é presencial em local a ser definido pelas equipes organizadoras de cada encontro.

 

INFORMAÇÕES GERAIS

Duração:  2 anos.
Carga horária:  196 horas.
Início das atividades:  março de 2016.
Período de inscrição: de 11 janeiro até 19 de fevereiro de 2016. Observação: após esse prazo, pedimos aos interessados encaminharem um e-mail para contato@institutofonte.org.br
Coordenadores:  Arnaldo Motta, Antonio Luiz de Paula e Silva, Flora Lovato e Mariangela Paiva (Conheça os currículos da equipe).
Localização:  
- Atividades do Conceitua e Reflete: presencial (nas cidades onde residem os coordenadores: São Paulo, Cotia-SP, Bauru-SP e Florianópolis-SC) ou à distância.
- Atividades do Pratica e Encontra: presencial, nas cidades em que as consultorias e os encontros vierem a ser realizados.


INVESTIMENTO

O valor do investimento será definido pelo participante em conjunto com o coordenador do Programa responsável pelo seu grupo de estudos, com base nas possibilidades financeiras de cada participante. Esse valor pode variar dentro dos limites abaixo indicados:

Ideal: R$ 695,00/mês

Social: R$ 595,00/mês

Subsidiado: R$ 495,00/mês

INSCRIÇÕES AQUI

DÚVIDAS FREQUENTES
Conheça aqui os principais questionamentos sobre o programa.

 

Algumas palavras dos supervisores do Aprimora:

 

“Eu sou um facilitador profissional, mas estou convencido agora que cada um precisa desenvolver o seu lado facilitador porque no fundo o que eu faço é estabelecer uma conexão com aquele ser vivo de modo que essa relação potencialize a expressão do que ele tem que ser e pode ser. Sabendo que organizamos que têm consciência sempre podem escolher. A escolha é uma expressão de sua consciência. À medida que eu desenvolvo essa capacidade de estabelecer essas conexões, a vida se realiza plenamente”, Antonio Luiz de Paula e Silva (veja a palestra “A missão do facilitador” no TEDxUSP).

 

“As pessoas vêm manifestando uma necessidade em aprimorar seu ofício, não só porque são profissionais de desenvolvimento, mas também em função da intensa movimentação que temos observado em nosso mundo nos últimos anos.

Grande parte dessa atividade social e política que emergiu em diversos países vem questionando os modelos tradicionais de análise, por não se encaixarem nas institucionalidades construídas até aqui. Compreender esses novos fenômenos e, consequentemente atuar em sintonia com o tempo atual, exige uma nova perspectiva que permita lidar de forma mais abrangente e profunda com o que se apresenta para quem pretende intervir e facilitar processos sociais, cuja base é o que chamamos de leitura de processo.

Ler processos está relacionado com a capacidade de atribuir sentido a um conjunto de fatores que se relacionam e interferem de determinada forma em determinado campo. Desenvolver essa capacidade quer dizer poder ampliar a perspectiva sobre o campo, atribuindo um/vários sentidos, de modo que os diversos componentes observados se articulam em um todo interdependente e simples. A isso chamamos de uma perspectiva complexa, que é diferente de ser complicada”, Arnaldo Motta. 

 

Algumas avaliações dos participantes do Aprimora:

 

Tem sido uma experiência gratificante aprofundar no conteúdo esclarecedor do Conceitua e conhecer experiências práticas dos colegas, no Reflete. Também, a oportunidade de partilhar minha própria experiência e desafios, me traz maior entendimento das situações e amplia a capacidade de percepção e reflexão", Marden da Veiga e Souza.
 
O programa Aprimora tem me ajudado e enxergar e trabalhar as relações de forma mais construtiva, contribuindo para fundamentar minhas ações e me fortalecer diante dos desafios que enfrento no dia a dia. Estudar e compreender a concepção que embasa as relações de ajuda tem sido um ótimo exercício de reflexão e aprendizado, especialmente para tomar consciência do que faço e como faço, percebendo  ranços, preconceitos, afinando a escuta e a intervenção, Maria Cristina Lefèvre Caiuby.